19
Thu, Oct
8 New Articles

Edição 639

Entrevista a Adelino Maia, candidato do PSD/CDS-PP à freguesia de Alvarelhos e Guidões

 

Adelino Maia tem como prioridades dar continuidade ao Centro Comunitário de Alvarelhos e a requalificação da estrada que liga o lugar do Bicho ao Muro.

 

O Notícias da Trofa (NT): O que o leva a candidatar-se à freguesia de Alvarelhos e Guidões?
Adelino Maia (AM): Candidato-me à freguesia por sentir que devo ficar outra vez e penso que o povo precisa de mim. Andamos na rua, ouvimos o povo e eu entendo que o povo está minimamente satisfeito. Muitos pressionaram-me para ficar outra vez e eu entendi que devia recandidatar-me. Arrisquei com uma tranquilidade enorme, na medida em que me entreguei às pessoas durante estes quatro anos, com muito amor e carinho, e estou pronto para fazer o mesmo, se for reeleito. A minha luta é fazer o melhor que posso pelas freguesias. A obra está no terreno e as pessoas vêm que, na verdade, há obra em Guidões e em Alvarelhos. Se disserem que é pouco, eu também queria mais, mas tenho noção que fizemos alguma coisa, sem marginalizar ninguém. E foi esse o motivo que me levou a recandidatar outra vez.

NT: Quais são os projetos que apresenta para o mandato?
AM: Apresentamos muitas necessidades que são precisas nas freguesias, mas não prometo fazer tudo. E, caso seja eleito, pode acontecer de fazer coisas que não estão no programa eleitoral, porque, às vezes, há imprevistos e emergências que temos que acudir. Tenho várias coisas para fazer, como a requalificação da estrada que liga o lugar do Bicho, em Guidões, até ao Muro, que é urgente. Já falei com o presidente da Câmara e disse-lhe que tínhamos urgência de requalificar esta rua, por ser a principal. Quanto às artérias, vamos indo lentamente, consoante as nossas posses. Queremos acabar com as ruas com piso em terra. Em Alvarelhos, a Rua das Mimosas, a Rua das Caleiras, a Rua da Costa, Travessa da Nascente, Rua Senhora da Alegria, Rua do Vale, Rua dos Caulinos, Rua da Silvosa, a Rua das Fontielas e a Rua Nova. Nesta última, se eu tiver voto na matéria, gostaria que se chamasse Rua Nova dos Vieiras, uma vez que foram dois primos desta família que cederam o terreno. É uma urgência pavimentar esta rua para desviar o trânsito do centro da nossa Igreja. Em Guidões, nós temos um centro de Igreja como poucos e, em Alvarelhos, queremos fazer e não podemos. Em Guidões, temos a Rua do Noval, a Rua de S. Francisco de Assis, que será uma das primeiras que quero resolver o problema, a Travessa Humberto Delgado, a Rua do Outeiro de Baixo, a Rua dos Sobreiros Juntos, a Rua do Fontanário do Bicho e a Rua da Senra.
Temos a construção de um ringue em Vilar num terreno da Junta que tinha sido feito um protocolo com um grupo para fazer um centro de dia, mas, como não foi possível, vamos reverter o terreno a Guidões. Nesse terreno magnífico queria fazer um ringue e um lugar de lazer, com mesas. Vamos fazer também, e já começamos com a obra, um parque infantil na Urbanização do Calhau Branco.
Caso seja reeleito, quero dar continuidade ao Centro Comunitário de Alvarelhos. O centro está começado há uns anos e a obra em si começa a ficar debilitada. Tenho pena que alguém tivesse duvidado do dinheiro que foi dado e tivessem chamado a Polícia Judiciária, o que é baixo e atrasa a obra.

NT: Qual o projeto/área prioritário(a) caso seja eleito?
AM: O de abraçar o centro de dia, para ver se conseguimos dar continuidade ao projeto em si. E depois há muitas obras, umas mais prioritárias do que outras, tendo sempre em causa o bem-estar do povo. Às vezes temos ideias e projetos, mas, de repente, aparece uma prioridade e nós temos que dar seguimento àquilo que é mais importante para o povo.

NT: Quais as principais carências da freguesia?
AM: As nossas ruas têm muitas carências e eu, que as palminho todos os dias, noto que é uma necessidade urgente. Numa autarquia há muita necessidade e muita coisa a fazer. Há pessoas que dizem que está tudo feito. Para mim, está a começar e estou a fazer uma coisa de cada vez. A qualidade de vida das pessoas é a número um, depois as ruas e estarmos atento às crianças, para que não lhes falte nada, para que amanhã tenhamos alguém que nos suceda com qualidade.

NT: Considera importante que a Câmara e a Junta de Freguesia sejam governadas pelo mesmo partido político? Porquê?
AM: Eu governo com qualquer partido político. Posso dizer que sou PSD, mas são todos bem-vindos, eu trabalho com gente que saiba ver, realmente, a necessidade do povo. Neste momento, é o meu partido, mas se tivesse que dizer mal, dizia mal. Acho que há uma abertura grande com o nosso presidente de Câmara e, portanto, tem mais-valias na medida em que digo o que é preciso e ele vem à obra e vê. Mas isso, fosse qual fosse o partido, era assim que devia funcionar. Se tivesse alguém do PS ou do PCP, que trabalhasse como o Sérgio Humberto, para mim era igual, se me atender àquilo que são as prioridades. E um político tem que ter coração e dar uso, se não estamos tramados. Havendo uma ótima relação com o presidente da Câmara quem ganha é o povo.

NT: Quais as obras que considera mais urgentes a ser realizadas pela Câmara Municipal?
AM: Eu tenho ouvido o presidente de Câmara a falar em fazer a sede da nossa Câmara, o que é bom, porque é tempo. Quando se fala nisso, eu penso que já não teremos tanta sorte em aumentar o protocolo, o que é preciso. Portanto, tem que se jogar com dinheiros de fundos, a ver se conseguimos juntar o útil ao agradável, para que não tire qualidade de vida às pessoas.

NT: Como avalia a evolução da freguesia ao longo dos 18 anos do Município da Trofa?
AM: Não sou ninguém para avaliar, as pessoas é que poderão avaliar, mas também tenho a noção de alguma coisa. Eu penso que a freguesia não está tão má como isso. Daquilo que conheci, quem passou, tanto por Alvarelhos como Guidões, fez o melhor que pôde e soube e evoluiu a freguesia e eu estou a dar continuidade à evolução. Agora o povo é que poderá avaliar e penso que vai avaliar no dia 1 de outubro.

1ª Pagina

Videos TrofaTV em destaque

Siga-nos no facebook

» Farmácia de serviço na Trofa